Luiz M. Calegari

Cada Click é um Mundo

Get Adobe Flash player

Aprendizagem  4 - O Clima, o Tempo e a Vida Humana  6º Ano

 

É muito comum ouvirmos um diálogo assim: Como está o tempo atmosférico hoje? Ou ainda: Como está o Clima hoje? Devemos ter em mente que clima e tempo atmosférico não são a mesma coisa, o tempo é uma situação de momento, daquela hora, daquele dia, o clima é um conjunto de fatores que determina o clima de uma determinada região e está relacionado com a Latitude, o Relevo e a Altitude. Mas, como está o Tempo Hoje?

 

O tempo deverá estar quente, frio, agradável, se há chuva ou não, qual a temperatura aproximada no momento, velocidade dos ventos,  nublado, de sol, garoando, etc.

 

O s telejornais costumam apresentar a previsão do tempo. Que elementos eles utilizam para isso? A previsão do tempo é feita com imagens de satélites, de radar e a partir da observação de elementos climáticos, como temperatura, pressão atmosférica, direção e velocidade dos ventos.

 

As mudanças do tempo atmosférico tem uma interferência na vida das pessoas. Vamos, então, saber como ocorre essa interferência: as condições do tempo atmosférico interferem muito na vida das pessoas. Se estiver frio, há necessidade de se agasalhar, de se proteger das baixas temperaturas. Em noites muito frias, os moradores de rua podem até morrer de hipotermia. O tempo atmosférico pode também prejudicar as lavouras, caso ocorram geadas e chuvas de granizo. Se há previsão de chuvas fortes, é preciso se precaver e, em especial, nas grandes cidades, para evitar congestionamentos e enchentes.

 

Nas página 23 a 25 temos o texto de noticias das chuvas que causaram inúmeros estragos em São Paulo e em Minas gerais. A seguir a introdução das noticias: Chuva causa estragos em dez cidades de SP.A tempestade que atingiu o Estado de São Paulo a partir do sábado à tarde causou estragos em pelo menos dez cidades do litoral sul e dos vales do Ribeira e do Paraíba. Ao menos 7.860 pessoas ficaram desalojadas, e 258 estão desabrigadas. Ao todo, ao menos 43 mil pessoas foram afetadas pelas chuvas.

 

Em MG, chuva danifica quase cem carros.Alguns veículos chegaram a ficar empilhados na principal avenida de Uberlândia; duas pessoas tiveram ferimentos leves. A Região metropolitana de Belo Horizonte também foi atingida; em Contagem, vento derrubou a marquise de um posto de gasolina.

 

Após a leitura daquelas noticias veremos que elas destacam danos humanos e materiais causados em áreas urbanas durante um período de chuvas intensas. Complicando a vida das pessoas com falta de energia, prejuízos financeiros, riscos de danos físicos também. Num evento desses grande parte da população é atingida e principalmente aqueles de menor poder aquisitivo.

 

Em todos os impactos causados, o excesso de chuvas é apontado como causador dos danos, e quando acompanhada de fortes ventos os danos e conseqüências em geral são  ampliados.

 

Além das chuvas e ventos que causaram tantos transtornos, não podemos deixar de lado a ação do homem, que em muitos casos está por trás das conseqüências de uma forte chuva que aumentam a vulnerabilidade dos ambientes, tornando-os mais suscetíveis a desastres. O alagamento de casas e ruas, por exemplo, está relacionado à ocupação de áreas inundáveis e à impermeabilização do solo urbano.

 

Nós podemos observar o tempo atmosférico durante um dia, durante uma semana, meses etc. e no final produzir um relatório e ter uma média de quanto choveu, das temperaturas mínimas e máxima, saber qual é a amplitude térmica daquela área, enfim, a observação do tempo atmosféricos nos dá muitas informações. Faça um teste, utilize a ficha da página 26 do caderno do aluno e anote os dados durante uma semana e depois sintetize os dados.

 

Lendo o texto da página 27 do caderno do aluno 2º semestre, veremos que “Frente fria é uma zona de transição entre uma massa de ar quente e outra de ar frio, que geralmente se forma em regiões de grande contraste térmico”.

 

Saberemos ainda, o que acontece com o tempo atmosférico com a passagem de uma frente fria. A passagem de uma frente fria provoca significativas alterações no clima, “associadas ao aumento das nuvens, à presença de chuva, às variações na direção do vento e à forte mudança de temperatura”.

 

As imagens de satélite da página 28 do caderno do aluno 2º semestre demonstram o avanço de uma frente fria pelo Brasil. As imagens nos mostram as áreas com maior cobertura de nuvens identificadas nas imagens e as mudanças ocorridas ao longo dos dias. Na primeira imagem, observa-se uma massa de ar sobre o Rio Grande do Sul, enquanto o restante do país apresenta tempo aberto, sem nuvens. Na segunda imagem, a massa de ar já se deslocou e atinge toda a região Sul, avançando para o oceano. Nota-se a formação de nuvens na região amazônica. Na terceira imagem, grande parte da massa de ar se deslocou para o oceano, e uma pequena porção dela está sobre São Paulo. Na quarta imagem, percebe-se que a massa de ar deslocou-se totalmente para o oceano e uma nova massa de ar formou-se na região amazônica.

 

Você ja deve ter observado e se perguntado: por que encontramos na atmosfera massas de ar que são frias e outras que são quentes? A principal resposta está na questão LATITUDE, A temperatura da massa de ar depende da região em que ela se forma. Nas áreas quentes, próximas ao Equador, formam-se massas de ar quente; nas regiões frias, em altas latitudes, massas de ar frias.

 

As massas de ar não são estáticas, elas se movimentam e as forças naturais que provocam esse movimento são: o deslocamento do ar (ventos), o movimento de rotação da Terra e os centros de alta e baixa pressão.

 

Em todos os cantos da terra sempre há alguém monitorando o tempo atmosférico, produzindo gráficos, tabelas, imagens. Esse monitoramento é necessário para facilitar a vida das pessoas, prevenir desastres naturais, para a agricultura, enfim o tempo está intimamente ligado  em nosso cotidiano.

 

Os gráficos ou climogramas da página 30 do caderno do aluno 2º semestre, temos:

 

As barras indicam a quantidade de chuva em cada mês do ano, enquanto as linhas representam as temperaturas máximas (vermelha) e mínimas (verde) no decorrer do período. É importante identificar em cada gráfico a variação de chuva e temperatura ao longo do ano.

 

Vamos comparar  as temperaturas e a pluviosidade dessas localidades.

Enquanto em Iquitos observam-se temperaturas e pluviosidade elevadas o ano todo, na Cidade de Belize há um período mais seco nos primeiros meses do ano.

Yuma, por sua vez, é uma área desértica, com totais pluviométricos reduzidíssimos e quase inexistentes no verão, quando as temperaturas estão mais elevadas.

Finalmente, a região de Prince George, no Canadá, apresenta temperaturas mínimas diárias abaixo de zero de outubro a abril. Durante o verão, as temperaturas máximas diárias podem alcançar 21,7 ºC positivos, e os meses mais quentes são também os mais chuvosos.

 

Está descrito no inicio desse texto que o clima e lógico, o tempo também estão relacionados com a LATITUDE. Ex: a) Cidade de Belize (17º N), Iquitos (3º S), Yuma (33º N) e Prince George (54º N).

 

Com relação ainda a LATITUDE,  os tipos climáticos representados nos gráficos são: Cidade de Belize (tropical), Iquitos (equatorial), Yuma (árido) e Prince George (frio).

 

Finalizando esse texto concluimos que:“Tempo” é um estado momentâneo da atmosfera, ou seja, que pode se modificar rapidamente (por exemplo, “o dia está quente e ensolarado”, “vai chover e esfriar no fim da tarde” etc.). Já o “clima” (ou tipo climático) é uma classificação feita após a observação do tempo atmosférico por longos períodos, que permite reconhecer características gerais relacionadas ao tempo de cada clima (tropical, temperado, árido etc.), nas diferentes regiões do planeta.

 

VOCE APRENDEU?

Com base nessas informações, escreva, em uma folha avulsa, um texto a respeito da influência do tempo atmosférico em sua vida. Conclua analisando o que poderia ter mudado na sua rotina se você sempre tivesse em mãos a previsão do tempo. Dê um título ao seu texto.

FONTES:

Caderno do Aluno - 6º Ano - 2º Semestre - Geografia

Caderno do Professor - 6º Ano - 2º Semestre - Geografia

Professor:  LUIZ MAXIMO CALEGARI

Login