Luiz M. Calegari

Cada Click é um Mundo

Get Adobe Flash player

A cadeia produtiva da laranja   -  6° Ano - Aprendizagem  6  

Na cadeia  produtiva da laranja há diversas etapas, entre elas temos setores e pessoas envolvidas: a industria que fornece os equipamentos e produtos químicos, o produtor,  o colhedor de laranjas, a indústria de processamento, e o consumidor final. 

A produção do suco de laranja em um único local é praticamente impossível, seja por fatores geográficos ou pela evolução das novas tecnologias, que se por um lado faz melhor a integração das etapas, também faz com que elas se tornem cada vez mais independentes, na medida em que cada uma delas vão se especializando, além dos fatores comerciais que envolvem a distribuição e o transporte até chegar nas prateleiras dos supermercados e daí até o consumidor. Portanto, do inicio da produção de laranja ao consumidor, que em sua maioria encontram-se nos países mais ricos, o caminho é longo.

Quando o produtor planta a laranja, cuida, colhe, e depois a industria produz o suco, estamos falando de uma mesma cadeia produtiva,  pois  a laranja é utilizada como matéria-prima nas fábricas de suco de laranja. É uma integração entre as plantações de laranja e a industria, antes, inclusive da laranja, vem a preparação do terreno com produtos químicos, e depois de plantada também, que são produtos industriais.

Temos que levar em conta nessa imensa cadeia que a laranja não é toda processada industrialmente, uma parte é vendida diretamente no mercado, como fruta fresca, como podemos observar diariamente nos mercados, feiras-livres e até na rua com os vendedores ambulantes

O consumo in-natura não tira essa fase da cadeia produtiva, pois o cultivo da laranja está integrado às atividades industriais (produção de fertilizantes e maquinários agrícolas), ao setor de transportes e ao comércio, por meio do qual a fruta finalmente chega ao consumidor final.

O mapa da página 39 do Caderno do Aluno 2º semestre mostra as principais regiões produtoras de laranja no Brasil, observamos que a produção está mais concentrada na Região Sudeste, sendo o interior do Estado de São Paulo onde se concentra as maiores plantações. Entretanto, existem também importantes  regiões produtoras no Rio de Janeiro, na Bahia, no Rio Grande do Sul, no Paraná, no Pará, no Amazonas, em Goiás, em Alagoas e no Amapá.

O mapa do Estado de São Paulo, da página  40 do Caderno do Aluno 2º semestre estampa os principais municípios produtores de laranja, são eles: Os municípios de Casa Branca, Aguaí, Mogi Guaçu, Conchal e Itapetininga se destacam como principais produtores de laranja no Estado de São Paulo.

O mapa nos mostra também que no Estado de São Paulo não há municípios litorâneos que se destacam na produção de laranja, está concentrada no interior do estado.

Linha do Tempo da Laranja

a)-Em 1501, os portugueses trouxeram da Espanha as primeiras mudas de plantas cítricas para o Brasil. O objetivo era criar abastecimento de vitamina C para ser utilizada no combate ao escorbuto, doença que atacava as tripulações no período dos Descobrimentos.

b)-No século XIX, a laranja já era cultivada no Rio de Janeiro para exportação.

c)-No início da década de 1930, as principais empresas exportadoras se transferiram do Rio de Janeiro para Limeira, no Estado de São Paulo, por causa das facilidades de transportes encontradas na região.

d)-A partir de 1960, o cultivo se espalhou para as regiões de Araraquara e Bebedouro.

e)-Em 1963, foi instalada em Araraquara a primeira fábrica brasileira de suco concentrado e congelado.

f)-Na década de 1970, os pomares paulistas se expandiram, e o Brasil começou a exportar não apenas a fruta, mas também o suco.

g)-Em 1977, as duas maiores fabricantes de suco de laranja em operação no Brasil alcançaram o controle de pelo menos50% da capacidade produtiva instalada no país. Desde então, elas continuam sendo as maiores empresas industriais do setor.

h)-Em 2005, o Brasil detinha 83% do mercado mundial de suco de laranja, sendo, portanto,o maior exportador mundial do produto.De todo o suco de laranja produzido no mundo, 88% é consumido na Europa e na América do Norte.

Analisando os três gráficos da página 41 do Caderno do Aluno 2º semestre veremos como está distribuído pelo mundo a produção, exportação e consumo do suco de laranja. Observamos que na safra 2012-2013 o Brasil produziu 1.255 toneladas de suco de laranja. O Brasil é o maior produtor no ranking mundial.

Nas exportações o Brasil também se destaca. Essa produção se dirige quase que exclusivamente ao mercado externo. Entre 2012-2013, o Brasil exportou 1.215 toneladas de suco, ou seja, quase tudo o que produziu.

A principal razão para isso é o baixo poder aquisitivo da nossa população, já que o suco de laranja é muito valorizado, caro para a maioria dos brasileiros.

Nos Estados Unidos da América, que figura como 2º maior produtor mundial, o consumo de suco de laranja industrializado é mais disseminado, devido ao maior poder aquisitivo das famílias. Mesmo sendo um grande produtor,o país precisa importar suco de laranja para garantir o abastecimento de sua população.

No caso do México, a maior parte do suco produzido é exportada, tal como ocorre no Brasil. Também nesse caso, o México, a exemplo do Brasil, é um país onde a distribuição de renda é muito desigual deixando a maior parte dos mexicanos com poder aquisitivo muito baixo e o suco de laranja não chega à mesa da maioria das famílias.

Ainda com base nos gráficos podemos observar que EUA, União Européia, Canadá e China, figuram como os principais importadores do suco de laranja.

A cadeia produtiva da laranja brasileira que se inicia, principalmente no interior do Estado de São Paulo é internacionalizada porque a produção é feita no Brasil, mas o consumo ocorre principalmente fora do país, nos EUA, na União Européia, na China, no Canadá e no Japão. É iniciada no interior do Brasil e termina na mesa das famílias consumidoras internacionais.

 

Os diagrama apresentado nas páginas 44 e 45 do Caderno do Aluno 2º semestre mostram que nas fazendas de produção de laranja são consumidos produtos industriais como fertilizantes, tratores e equipamentos de irrigação, entre outros. Vários setores industriais são fornecedores de produtos para as fazendas produtoras de laranja.

Além de consumidoras de produtos industriais as fazendas de produção de laranja são também fornecedoras para diversos tipos de indústria, como as de suco de laranja pasteurizado,  as de ração, de bebidas,  alimentícias, etc.

Sabemos que a atividade econômica pode ser dividida em três grandes setores: primário, secundário e terciário, e a cadeia produtiva da laranja mobiliza todos os setores da economia: o setor primário (agricultura), o setor secundário(indústria) e o setor terciário (comércio e distribuição).

 

Outros exemplos de cadeias produtivas:

 

O Extrato de Tomate: Este tem o seu início nos insumos que representam as sementes, os fertilizantes, os equipamentos para preparar o plantio do tomate lá na fazenda, temos a produção que é uma etapa na fazenda, depois vem o transporte para a indústria, no transporte da fazenda para a indústria, como o que acontece também, com a laranja, nem todo tomate vai para as indústrias, uma parte vai para as feiras e mercados, na indústria temos a moagem e o cozimento do tomate, a introdução de produtos químicos, a embalagem em latas, caixas e outras, e vem novamente o transporte para o comércio.

Café: Antes da Fazenda, os fertilizantes, os equipamentos e ferramentas diversas, preparação das mudas, depois vem o plantio, os cuidados diversos, a colheita, o transporte para o Mercado distribuidor e para a Industria. Da industria para o comercio e para outras industrias como, como cappuccino, café solúvel, de doces, alimentícias e a exportação que também é forte, apesar de bem menor que num passado recente onde foi a principal fonte econômica do Brasil.

Cana:  também o antes, durante e pós fazenda. A cana-de-açúcar foi o primeiro produto agrícola como principal renda do Brasil, lá no inicio da colonização. Depois perdeu para a borracha, para o café, mas nas últimas décadas volta a ter importância estratégica para nosso país, as plantações se expandira a partir do início da produção de álcool combustível. Também com uma longa cadeia produtiva e geradora de renda, desde o antes, durante a pós fazenda, atingindo também os mercados internacionais.

Soja: Esta um dos principais produtos agrícolas brasileiro exportado, a cadeia produtiva envolve desde as industrias fornecedoras de equipamentos e de tecnologia avançada, como no caso das transgênicas, na faze anterior às fazendas, durante e pós fazenda, aqui chegando nas indústrias alimentícias, de óleos, rações e ao mercado internacional.

Fontes:

Caderno do Aluno 6º Ano - Geografia - 2º Semestre

Caderno do professor 6º Ano - Geografia - 2º Semestre

Professor:  Luiz Maximo Calegari

Login