Luiz M. Calegari

Cada Click é um Mundo

Get Adobe Flash player

FRONTEIRAS PERMEÁVEIS - APRENDIZAGEM 2  -   7° Ano   -  6ª Série

 O mapa Zona de fronteira da página 11 do Caderno do Aluno nº 1 mostra os tipos de articulação entre cidades gêmeas, bem como os países que fazem fronteira com o Brasil e podemos observar que quase todos possuem cidades gêmeas com o território brasileiro. O Brasil faz fronteira com os seguintes países da América do Sul: Uruguai, Argentina, Paraguai, Bolívia, Peru, Colômbia, Venezuela, Guiana e Suriname. No caso da Guiana Francesa não vamos considerar um país independente, porque é um território da França. Neste caso poderíamos dizer que fazemos divisa com a França que somente em parte é a realidade. Dos países fronteiriços com o Brasil, apenas o Suriname não possui uma cidade que seja gêmea de uma cidade brasileira. Devemos dar uma especial atenção para as cidades gêmeas de Letícia (Colômbia) e Tabatinga (Brasil), formando A tríplice fronteira que é formada por Tabatinga (Brasil), Leticia (Colômbia) e Santa Rosa (Peru)

Observando a faixa de fronteira brasileira, de acordo com o mapa, podemos observar que existem mais de um tipo de articulação entre as cidades gêmeas e uns mais frequente que outros. A legenda do mapa acima mencionado nos demonstra existir três tipos de articulação entre as cidades gêmeas: fluvial com pontes, fluvial sem pontes e terrestre. De acordo com o mapa, destacam-se articulações do tipo terrestre, sobretudo na fronteira com os Estados do Mato Grosso do Sul e Rio Grande do Sul. Ainda no Estado do Rio Grande do Sul, destacam-se as articulações do tipo fluvial com ponte.

Outro dado mostrado no mapa são os estados que possuem mais cidades gêmeas e com quais países fazem fronteira, assim podemos afirmar que de acordo com o mapa, os Estados do Rio Grande do Sul e do Mato Grosso do Sul são os que mais possuem cidades gêmeas. No Rio Grande do Sul, elas estão na fronteira do Brasil com a Argentina e o Uruguai. Já no Mato Grosso do Sul, na fronteira do Brasil com a Bolívia e o Paraguai.

Na página 12 do Caderno do aluno Volume 1 temos uma imagem de satélite e um esquema gráfico. Observando a imagem temos Guajará-Mirim no Brasil e Guayaramerín na Bolívia, e o esquema representa as redes de produção do espaço na fronteira entre e, as cidades gêmeas mostradas na imagem de satélite. Observamos também que por ali, Do Brasil para a Bolívia circulam produtos alimentícios, calçados, confecções e eletroeletrônicos. Da Bolívia para o Brasil circulam borracha, pupunha, madeira, castanha e gado bovino.

Neste tipo de fronteira pode haver mais de um estado ou capital brasileira que usam tais acessos para fins comerciais como é o caso Guajará-Mirim e Guayaramerín, onde por via terrestre, Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC) comercializam, principalmente combustível e gêneros alimentícios. Por via fluvial, Manaus (AM) comercializa combustível e eletroeletrônicos.

Na página 14 do Caderno do aluno volume 1 temos também uma imagem de satélite e um esquema gráfico das redes de produção do espaço na fronteira de outras duas cidades gêmeas: Leticia e Tabatinga mostrando como é feita a articulação e produtos comercializados, sendo que, em Tabatinga, comercializam-se produtos alimentícios, material de construção, refratários, gás, pescado e peixes ornamentais. Em Leticia, os brasileiros compram gasolina, cigarros, motos, autopeças, joias, eletroeletrônicos, roupas e verduras. Observamos também que Bogotá é a cidade colombiana que os brasileiros têm acesso tomando por base a cidade de Leticia.

Além de estados e capitais brasileiras que mantem o intercãmbio os produtos que chegam da China e dos estados Unidos se beneficiam desta proximidade. Sabemos que os produtos chineses e americanos chegam a essa zona de fronteira através do transporte marítimo, produtos industrializados da China e dos Estados Unidos são desembarcados no porto de Manaus. De lá, essas mercadorias seguem para Tabatinga por via fluvial para, então, serem distribuídas para o interior da Colômbia e do Peru.

As cidades gêmeas são cidades territorialmente contíguas com cidades de países vizinhos. Santana do Livramento, no Rio Grande do Sul, é um exemplo de cidade gêmea. Observando o mapa e a foto da página 15 do Caderno do Aluno volume 1 podemos ver que Rivera no Uruguai  é a cidade e país respectivamente contíguos a Santana do Livramento

Com base em seus conhecimentos, a situação de fronteira internacional em Santana do Livramento é semelhante à de Guajará-Mirim ou de Tabatinga?

Aqui podemos observar que, apesar de Tabatinga inicialmente ter a menor população entre essas cidades (2000), verifica-se um crescimento populacional médio anual mais acentuado. Santana do Livramento, por sua vez, está situada no Rio Grande do Sul, um dos Estados brasileiros que apresentam as menores taxas de incremento populacional. Outra diferença são os produtos contrabandeados ou consumidos pelas populações vizinhas, brasileira e uruguaia.

O Brasil é o quinto maior país em extensão territorial. Observando o mapa da página 18 do Caderno do Aluno volume 1, poderemos afirmar que está localizado na porção Centro-Oriental do Continente. A posição geográfica do Brasil com a dos quatro países mais extensos do mundo é a seguinte:

Assim como o Canadá e os Estados Unidos, o Brasil está localizado no Hemisfério Ocidental, enquanto a Rússia e a China estão no Hemisfério Oriental. O Brasil é o único dentre os cinco países mais extensos do mundo que possui a maior parte de suas terras no Hemisfério Sul.

Aprendemos que:

As regiões de fronteira quase sempre apresentam um dinamismo econômico e uma interação entre bens e serviços, promovendo uma permeabilidade, o que significa que ocorre a passagem de produtos, pessoas e serviços para os dois lados. Isso ocorre em muitas regiões de fronteiras internacionais do Brasil. País que faz divisa com todos os países da América do Sul, com exceção do Chile e do Equador. 

O termo fronteira refere-se a uma área de contato entre dois territórios que, de certa forma, favorece a integração. Fronteira também é uma região na qual se aproxima o fim do domínio político judicial de um país, ou ainda pode ser considerada uma frente pioneira de colonização ou ocupação.

Toda fronteira possui um limite, ele seria a linha divisória entre territórios, países, estados, ou outra unidade administrativa é o fim daquilo que mantém coesa uma unidade político-territorial.

No Brasil temos algumas fronteiras mais densas que outras (veja o mapa) nas quais há mais cidades concentradas possibilitando assim um comércio mais dinâmico entre elas, uma maior permeabilidade. A região Sul do Brasil é a que possui a maior densidade em suas fronteiras, nota-se ali várias cidades interdependentes com seus comércios, trocas comerciais cotidianas entre cidades de dois países. São vários os exemplos em toda extensão territorial do Brasil, vejamos alguns.

  • Gurayaramerín, na Bolívia e Guajará-Mirim, no Brasil;
  • Letícia, na Colômbia   e Tabatinga, no Brasil;
  • Riviera, no Uruguai e Livramento, no Brasil.

São cidades separadas por apenas uma rua ou um rio e que mantém uma forte integração entre seus povos e suas atividades econômicas e comerciais.

Referência:

São Paulo (Estado) Secretaria da Educação. Caderno do professor: geografia, ensino fundamental, 6ª série. vol. I. Maria Inês Fini (org.) São Paulo: SEE, 2009.

Fontes:

Caderno do Aluno Volume 1

Caderno do Professor Volume 1

Professor: Luiz Maximo Calegari

Login