Luiz M. Calegari

Cada Click é um Mundo

Get Adobe Flash player

OUTRAS FORMAS DE REGIONALIZAÇÃO -  Aprendizagem 7 - 7º Ano

Se fizermos uma pesquisa veremos que São Paulo é a maior cidade da América Latina abriga pessoas de todas as partes do mundo e de todos os cantos do Brasil, toda região tem migrantes que se dirigiram e ainda se dirigem para essa cidade.

Dificilmente você fará a seguinte pergunta: Quando veio morar em São Paulo? E a resposta será que é paulista de fato.  

Se perguntar: De onde veio? Talvez pelo sotaque você poderá identificar, mas nem sempre será possível porque temos imigrantes de todas as épocas de formação desta cidade.

Perguntando também: Por que se mudou para São Paulo? Os motivos quase sempre serão os mesmos, “em busca de novas oportunidades”, pois São Paulo é grande em todos os sentidos, em área e em oportunidades.

Como foi a viagem até aqui (meio de transporte e percurso)? Os meios de transportes e percursos são os mais diversos, na primeira metade do século 20, era comum os migrantes virem caminhando. Como o fluxo de pessoas para São Paulo era grande, muitos desses migrantes ficavam pelo caminho onde surgiram povoados, e novas regiões se formavam.

Perguntar se teve dificuldades no trajeto e de adaptação nem é preciso, os meios de transportes eram precários, hoje os migrantes chegam até de avião, quanto a se adaptarem sempre houve e haverá dificuldades, primeiro pelo novo, depois pela desconfiança de quem já está aqui, dificuldades na hora de procurar um emprego, de relacionamentos pessoais, o pouco dinheiro no bolso, o desconhecido pela frente.

Aqui chegando, era comum que os migrantes escrevessem para os parentes e amigos que deixaram na Terra de origem, relatando como foi o percurso, a chegada a São Paulo e a adaptação ao novo lugar de moradia, dava, na maioria das vezes, incentivo para que novos migrantes se aventurassem para a cidade ou região, sim, região, porque hoje temos algumas cidades satélites de São Paulo, que foram urbanizadas, cresceram, com a chegada de imigrantes.

A grande maioria dos migrantes que chegaram à São Paulo no século XX, principalmente até a década de 1980, eram oriundos da zona rural, acostumados ao manejo da soja, madeira, arroz, café, milho, entre outros, e atividades da agropecuária. 

Como no século XX o Brasil começou a se mexer por todos os lados, gente que ia e vinha sem parar, era preciso que fosse definida a atual situação regional, e assim, Pedro Pinchas Geiger, em 1967, sintetiza uma proposta de regionalização conhecida como: Macrorregiões geoeconômicas (complexos regionais), onde dividiu o território em Amazônia, Nordeste e Centro-Sul.

Cada uma dessas regiões tinha uma característica, pois no momento histórico no qual essa proposta de regionalização foi elaborada, o Centro-Sul despontava como centro dinâmico da economia nacional, concentrando parte importante da produção industrial e agrícola e das atividades de serviços, enquanto o Nordeste apresentava estruturas produtivas mais frágeis e um quadro social mais precário. A Amazônia, por sua vez, estava em processo de conexão com os demais complexos regionais brasileiros e apresentava uma situação de grande violência fundiária. 

Nas últimas décadas, de um país predominantemente rural, desenvolveu grandes parques industriais, principalmente na Região Sudeste, além da mecanização agrícola que deu um novo impulso à produção de grãos, o Brasil se torna um grande exportador dos mais diversos produtos para todas as partes do mundo, e a porta de saída são: São os portos de Santos (SP) e de Tubarão (ES), localizados na chamada região Concentrada. Pelo porto de Santos são exportados principalmente produtos agrícolas e industriais e, pelo de Tubarão, minérios.

Além dos portos temos também grandes aeroportos de onde sai pessoas e mercadorias para todos os continentes, são: São os aeroportos de Guarulhos (SP), Galeão (RJ) e Viracopos em Campinas, localizados na chamada região Concentrada. 

Quase toda produção industrial que é exportada e consumida dentro do país sai dos Estados de São Paulo, do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, localizados na chamada Região Concentrada.

Como na maioria dos países do mundo, o Brasil tem cidades de maior atração, ou seja, tem influência em todo território nacional, são as cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro, localizadas na chamada região Concentrada.

O mapa Meio técnico-científico-informacional e as regiões do Brasil, 1999 foi elaborado pela equipe de pesquisadores coordenada pelo professor e geógrafo Milton Santos. Para esses especialistas, o Brasil poderia ser dividido em quatro regiões: a Amazônia, a Nordeste, a Centro-Oeste (que inclui o Tocantins) e a Região Concentrada (abrangendo São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul). O critério dessa regionalização é o grau de acumulação da ciência, da tecnologia e da informação. Essa divisão proposta por Milton santos e equipe se justifica porque a região Concentrada reúne as principais cidades, as principais concentrações industriais e as mais importantes infraestruturas de transportes. Sabemos que a tecnologia está chegando em todas regiões brasileiras, mas a sequência acima é real quanto ao desenvolvimento e acesso tecnológico.

Neste capítulo estudamos e aprendemos que o Brasil sofreu grandes mudanças no decorrer do século XX, teve uma regionalização mais perto da sua realidade, sobre uma grande urbanização, a agricultura foi mecanizada, nossa indústria cresceu, passamos de um país meramente agrícola para um Brasil exportador dos mais diversos produtos

Fontes:

Caderno do Aluno Volume 1

Caderno do Professor Volume 2

Professor:  Luiz Maximo Calegari

Login