Luiz M. Calegari

Cada Click é um Mundo

Get Adobe Flash player

RELAÇÕES ENTRE ESPAÇO GEOGRÁFICO E GLOBALIZAÇÃO – Aprendizagem 1

 

O texto da página 5 do Caderno do aluno tem algumas palavras em negrito cujos significados são os seguintes:

Oriente Próximo: Oriente Próximo ou Próximo Oriente é o nome de uma região geográfica que abrange diferentes países do sudoeste asiático.

O termo foi aplicado originalmente para os Estados dos Bálcãs no Leste Europeu, mas hoje em dia descreve também os países do Sudoeste Asiático entre o Mar Mediterrâneo e o Irã, especialmente em contextos históricos. O termo Oriente Próximo entrou em uso nos anos de 1890.

Europa setentrional: O Bloco continental do norte da Europa e chamado de Europa Setentrional. A definição para essa porção de terra do continente, durante muito tempo, recebeu diversas denominações.

 

Fiados: No texto a palavra fiados tem o sentido de fiar, tecer, fabricar um tecido, em nosso meio significa também vender fiado ou confiar uma mercadoria a alguém que vai pagar depois, ou seja, vender fiado.

Mocassim é um tipo de calçado, mais precisamente um tipo de sapato criado pelos índios norte-americanos. Eram feitos com casca de árvore e eram sem saltos.

Gauleses: Pode-se dizer que a expressão gauleses se refere a um conjunto de populações celtas que habitavam em Gália.

Vale destacar que os gauleses gostavam de cálculo, geometria e astrologia, pois tinham conhecimento de que por meio dessas ciências eles poderiam criar calendários e determinar com segurança os lugares de cultos.

 

Masoquista:  É uma pessoa que sente prazer ao sentir dor e também através do sofrimento moral, como uma humilhação verbal. Quem é masoquista sente prazer, sexual ou não, ao estar em uma situação de inferioridade perante o outro, ao ser agredido e ridicularizado, por exemplo.

 

Sumerianos: Primeiros povos que habitaram a região da Mesopotâmia, os sumerianos eram asiáticos e, até hoje, suas origens não foram bem definidas.

 

Semita é o termo que designa um conjunto linguístico composto por vários povos. A origem da palavra Semita está na Bíblia, mais precisamente no livro do Gênesis quando se trata da história de Noé. Nas escrituras judaicas, um dos filhos de Noé era chamado Sem o que é uma versão grega para o nome hebraico Shem. A derivação do nome de tal filho de Noé, Semita, passou a identificar um conjunto de povos que possuem traços culturais comuns.

 

Narrativas:  É um substantivo feminino. Derivando-se de narrar, o termo vem do Latim narrare, que significa “dar a saber, narrar, contar, expor narrando”. 

Divindade: É, segundo quem nela crê, algum ser sobrenatural, mitológico, com poderes especiais, superior, criado espontaneamente ou por outra divindade. 

Divindade Hebraica:  O termo Divindade Hebraica indica uma força transcendente, que tem origem na cultura do póvo hebreu, tradicionalmente conhecido por sua adoração ao deus de Abraão.

Indo-europeia: É uma família composta por diversas centenas de línguas e dialetos, que inclui as principais línguas da Europa, Irã e do norte da Índia

O texto nos faz viajar em pensamento por quase todos os continentes, é uma realidade em nossos dias, se você pegar um objeto de sua casa, provavelmente e com raríssimas exceções ele terá algo a ver com outras partes do mundo, portanto o espaço geográfico que é uma construção humana sobre uma superfície natural transformada, a sua dimensão está presente em praticamente tudo o que fazemos, pois ele faz parte integrante da sociedade. Apesar de vivermos em um local, num lugar que é nosso, o mundo globalizado também está presente.

No Caderno do aluno 1º Semestre, páginas 6, 07 e 8 tem tabelas em branco para serem preenchidas e um mapa mudo para criarmos um mapa de fluxos dos produtos que usamos no dia a dia. Ao final do trabalho veremos que com os resultados pesquisados e feito o mapa de fluxo no mapa mudo da página nº 8 do Caderno do Aluno Volume 1, veremos que estes produtos tem origens em várias partes do mundo, de alguns locais mais produtos e de outros menos, você verá que quanto mais desenvolvido e industrializado é um maior fornecedor. O Brasil, como ficará demonstrado no mapa, é um país com relações internacionais diversificadas, que importa de várias partes do mundo.

Na página 9 do caderno do Aluno 1º Semestre tem um mapa que com o passar do tempo mostra o mundo encolhendo, isso tem a ver com o processo de globalização que em virtude do avanço nas tecnologias de transporte, permitindo que a mesma distância seja percorrida em muito menos tempo. A imagem retrata o processo ocorrido desde 1500, com os barcos a vela, até 1960, com os jatos de passageiros. Por meio da metáfora do “encolhimento”, pode-se compreender a relativização das distâncias, que não são impedimentos para os contatos desde que os meios técnicos possam superá-las. O formato em funil representa o encurtamento das distâncias em função das sucessivas alterações nos meios de transporte realizadas no decorrer da história.

Em cada uma das figuras representadas naquela página é de uma época diferente, a maior era do tempo dos barcos a vela, depois vem a figura dos barcos a vapor, em seguida a figura onde predominavam os aviões a propulsão e a última dos aviões a jato que ultrapassam os 1000 km por hora. Esta velocidade continua aumentando, estamos falando até aqui do transporte de passageiros e mercadorias, se passarmos para o transporte de dados e informações já estamos na era instantânea.

Quando mencionamos globalização, a impressão é que está tudo integrado de forma igual, mas não é assim, alguns povos ou comunidades ainda sofrem de algum isolamento, exemplo das comunidades quilombolas mostradas no mapa da página 11 do caderno do Aluno 1º Semestre, onde grande parte dessas comunidades encontra-se isolada, pois resultam das antigas áreas de abrigo de escravos, sofrem com as dificuldades relativas à circulação de produtos e serviços característicos de áreas mais urbanizadas e, portanto, disponibilizados pelas redes globalizadas. Podemos também destacar o fato de que a internet se tornou um meio adequado para a difusão dos direitos dessas comunidades, principalmente no que concerne ao direito à terra e ao reconhecimento da identidade particular desses grupos.

Por mais contraditória que seja essa afirmação, a globalização não é universal. Mas pode-se afirmar que ela implica maior interdependência dos países entre si e das pessoas sob certos aspectos, além de uma articulação instantânea entre os diferentes lugares do mundo (conexão on-line) e de uma certa tendência à uniformização de padrões culturais.

Na verdade, está em construção uma nova cartografia do mundo com redefinições do espaço geográfico

 

Fontes:

Caderno do Aluno 1º Semestre

Caderno do Professor 1º Semestre

https://www.significados.com.br/oriente-proximo/

https://www.infoescola.com/geografia/europa-setentrional/

https://www.dicionarioinformal.com.br/mocassim/

https://www.infoescola.com/civilizacoes-antigas/sumerianos/

 

Professor:

Luiz Maximo Calegari

 

Login