Luiz M. Calegari

Cada Click é um Mundo

Get Adobe Flash player

Aprendizagem 5  -  8° Ano - Peru e México: a Herança Pré-Colombiana

Principais características sobre as civilizações pré-colombianas, em especial a asteca e a inca.

O processo de descoberta do continente americano representou para os europeus o contato com um mosaico de culturas bastante peculiar. Mais do que se encantaram com o passível exotismo dos nativos, as tripulações do Velho Mundo deram de frente com civilizações complexas. Muitas dessas sociedades conheciam a escrita, desenvolveram sistemas matemáticos, possuíam calendários de enorme precisão e construíram centros urbanos mais amplos que as cidades da Espanha. 

Por volta do século VII, a Cordilheira dos Andes foi palco do desenvolvimento das civilizações chimu, tiahuanaco e huari. Quase quinhentos anos depois a reunião desses povos que ocupavam a região seria correspondente ao vasto Império Inca, administrado na cidade de Cuzco. Antes da chegada dos espanhóis, os incas formaram um Estado de caráter expansionista, que alcançou regiões que iam do Equador até o Chile, e abrigava cerca de seis milhões de pessoas. 

Na porção central do continente americano, olmecas, toltecas, teotihuacanos, astecas e maias formaram sociedades distintas. Os maias, entre os séculos III e XI, estabeleceram um complexo de Cidades-Estado que funcionavam de forma autônoma graças a um eficiente sistema de servidão coletiva. Segundo informações, a civilização maia teria congregado mais de dois milhões de habitantes. Quando chegaram à América, os espanhóis encontraram boa parte desses centros urbanos abandonados. 

A mais vistosa civilização mesoamericana foi constituída pelos astecas, que conseguiram formar um império que ia do sul da Guatemala, até a porção oeste do México. A capital Tenochtitlán abrangia uma área de treze quilômetros quadrados e congregava uma população composta por centenas de milhares de habitantes. As populações vizinhas eram obrigadas a pagar vários impostos que garantiam a hegemonia asteca. 

Cada aldeia asteca era integrada por diversas famílias, que utilizavam as terras férteis de forma coletiva. Uma parcela considerável da produção agrícola dos aldeões era destinada ao Estado, que distribuía o alimento recolhido para os funcionários públicos, os sacerdotes, militares e a família do imperador. Do ponto de vista político, possuíam uma monarquia centralizada nas mãos do Tlacatecuhtli, responsável pela condução da política externa e dos exércitos.

Em termos gerais, percebemos que o continente americano contava com uma ampla diversidade de culturas que se desenvolveram de forma própria. Contrariando o ideal eurocêntrico do Velho Mundo, as populações pré-colombianas estabeleceram relações sociais complexas, criaram suas próprias instituições políticas e engendraram os seus saberes.  http://www.mundoeducacao.com/historia-america/as-civilizacoes-precolombianas.htm

O texto da página 40 do Caderno do Aluno, 8º ano segundo semestre, ( Clique AQUI para acessar o texto )traz alguns dados sobre a capital do Império Asteca, onde hoje é a capital mexicana. Tenochtitlan, a capital do Império Asteca, tinha mais de 300 mil habitantes e era uma das maiores cidades do mundo quando foi invadida pelos conquistadores espanhóis, no século XVI. Ate hoje podemos observar que a catedral católica permanece sustentada sobre as ruínas do templo mais importante de Tenochtitlan. Ao lado da igreja esta o palácio do governo, situado sobre a residência de Cuauhtemoc, o chefe asteca morto pelo espanhol Hernan Cortes, quando Tenochtitlan foi conquistada, em 1521.

A Cidade do México cresceu sobre o antigo Lago Texcoco. Para que isso fosse possível, a única possibilidade é o aterramento do fundo do lago. Por meio da figura da página 42 do Caderno do Aluno 2º semestre, podemos  concluir que o processo é bem antigo, como no caso das chinampas, utilizadas desde a época dos astecas para uso agrícola. Evidentemente, a expansão da cidade moderna também gerou aterros para a construção de loteamentos.

A Cidade do México apresenta hoje vestígios de várias histórias que deixaram marcas sobrepostas, como exemplos a catedral católica construída sobre as ruínas do templo asteca e ao palácio do governo edificado no lugar da antiga residência do imperador asteca. A capital mexicana pode ser comparada aos palimpsestos, que antes da invenção do papel, as peles de animais eram preparadas para servir como suporte para a escrita, os palimpsestos, podiam ser raspadas e reutilizadas, embora sempre sobrassem vestígios das escritas anteriores.

Os Incas também deixaram um legado  na Herança Pré-Colombiana:

Os Incas foram um dos povos mais civilizados da América. Compunham, principalmente as tribos Quéchuas, Aymará, Yunka, etc, que formavam, segundo os espanhóis o Império dos Incas, denominação derivada da família reinante pertencente à tribo dos Quéchuas, a principal do império. Habitavam a região hoje ocupada pelo Equador, Peru, norte do Chile, Oeste da Bolívia e noroeste da Argentina. Mais de dez milhões de cidadãos haviam se fundido nesta unidade política e cultural que era de elevado nível. Fisicamente os Incas eram de pequena estatura, pele morena, variando do moreno claro ao escuro, cabelos pretos e lisos quase imberbes. Quanto a organização social e política segundo o testemunho espanhol, eles eram perfeitos, possuidores de espírito comunitários.  http://www.historiadomundo.com.br/inca/civilizacao-inca.htm

Caros alunos e professores, quando tiverem um tempinho assistam o vídeo Reino nas Nuvens.

Segundo o documentário, por que os incas construíram Machu Picchu?

O filme explora os dados arqueológicos para demonstrar que não se sabe ao certo por que Machu Picchu foi erguida a 2 800 metros acima do nível do mar e distante 112 quilômetros de Cuzco, capital do Império Inca. Trata-se de um lugar de difícil acesso e, ao mesmo tempo, majestoso e complexo. Entre as hipóteses admitidas pelos pesquisadores, pode-se destacar:

1.-Era uma cidade estratégica fortificada na fronteira de uma região com povos belicosos;

2.-Era uma espécie de convento para acolher as mulheres escolhidas pelo imperador;

3.-Era um centro de estudos astronômicos e de culto aos astros.

As características culturais da civilização Inca apresentadas no filme destaca as técnicas construtivas avançadas dos incas, assim como seus sistemas de cultivo em terraços e a sofisticação do artesanato.

As comunidades indígenas da Cordilheira dos Andes preservam esses valores culturais, pois muitas comunidades indígenas dos Andes vivem no meio rural, preservando antigas práticas agrícolas e a destreza nos trabalhos artesanais.

Vamos analisar a seguinte Tabela

América Latina: população indígena estimada em alguns países

Nome do país

População indígena

Milhões*

% População total

Argentina

0,05

1

Bolivia

4,9

71

Brasil

0,3

0,2

Chile

1,0

8

Equador

4,1

43

Guatemala

5,3

66

Mexico

12,0

14

Peru

9,3

47

Venezuela

0,4

2

* Das cifras, aproximadamente 50% sao mulheres.

Fonte primaria: MEENTZEN, A. Estratégias de desenvolvimento culturalmente adequadas para mulheres indígenas. Washington:

Banco de Desenvolvimento, 2000. Quadro publicado em Equidade em saude: a partir da perspectiva etnica. Washington, D.C.:

Organizacao Pan-americana da Saude, 2001. p. 16. Fonte secundaria: SADER, Emir et al. (Coords.). Latinoamericana.

Enciclopédia contemporânea da América Latina e do Caribe. Rio de Janeiro: Laboratorio de Politicas Publicas da Uerj; Sao Paulo:

Boitempo Editorial, 2006. p. 580. Adaptado.

Em nossa análise podemos concluir que há uma diferença entre os países com relação a população indígena e o percentual relativo à população total. Neste caso o México é o país que possui a maior população indígena em termos absolutos (12 milhões), mas é a Bolívia que apresenta a maior participação de indígenas em sua população (71%). Isso está relacionado ao número de habitantes de cada país.

Os dados da tabela nos permite elaborar gráficos de cada um dos países e demonstrar de forma gráfica a real situação de cada um deles  a relação que há entre a população indígena e a total.

Num gráfico de círculo podemos usar a seguinte fórmula:

360o

= 3,6°

100

Sabendo que um círculo tem 360o e é = a 100%, cada parte dos 100%  equivale a 3,6o. Se 71% da população é indígena e 29% não, é só multiplicar cada um desses valores por 3,6º e teremos: 71% = 255.6o.  29% = 104.4o

Ficando assim o gráfico: Vermelho = 29 %  e  Azul = 71%

 

Ou um gráfico de colunas, onde a barra de 0 a 10 é o total de 100% da população.71% de indígenas representados na cor azul e 29% não indígenas na cor vermelha.

Da mesma forma podemos fazer para todos os países que constam na tabela.

A tabela nos mostra também que há uma relação comum entre os países com maior porcentagem de população indígena e a Geografia Física. Os que apresentam maior porcentagem de população indígena são a Bolívia (71%), a Guatemala (66%), o Peru (47%) e o Equador (43%). Do ponto de vista da Geografia Física, esses países possuem regiões montanhosas em seus territórios. É importante destacar que essas regiões abrigavam a maior parte dos núcleos de povoamento que existiam na América antes da conquista européia.

Considerando o  texto Índios e escravos nas sociedades coloniais: "Na America hispânica e na America portuguesa, a implantação de uma economia colonial teve como objetivo a produção de matérias-primas e alimentos e a extração de metais preciosos para o abastecimento dos mercados europeus"......., da página 47 do caderno do aluno 8º Ano segundo semestre e a tabela acima mostrando a população indígena estimada, poderemos concluir que: o desenvolvimento econômico dos países, a cultura, sistemas políticos e a distribuição desigual da população indígena na América Latina estão inter-relacionados com as civilizações pré-colombianas.

Os altiplanos situados entre as cordilheiras montanhosas da América Latina centralizaram as civilizações pré-colombianas, abrigando um contingente populacional maior do que o das planícies costeiras. Os adensados núcleos de povoamento ameríndio foram transformados em reserva de mão de obra pelos colonizadores espanhóis. Os países originados desses núcleos de povoamento são os que apresentam maior porcentagem de ameríndios em suas populações.

As civilizações que edificaram as construções retratadas nas imagens da página 48 do Caderno do Aluno 8º Ano 2º semestre, (Ruínas da pirâmide de Kukulcán e Ruínas de Machu Picchu ) são chamadas civilizações pré-colombianas porque eram as civilizações antigas estabelecidas nas Américas antes da chegada dos primeiros colonizadores espanhóis, que desembarcaram a partir da expedição de Cristóvão Colombo.

Fontes:

Caderno do Aluno 8º Ano 2º semestre

Caderno do Professor 8º Ano 2º semestre

Edição de: PROFESSOR: Luiz Maximo Calegari, graduado em Geografia e pós graduado em docência no Ensino Superior

Login