Luiz M. Calegari

Cada Click é um Mundo

Get Adobe Flash player

A APROPRIAÇÁO DESIGUAL DOS RECURSOS NATURAIS  -  APRENDIZAGEM 1 - 2º Semestre GEOGRAFIA - 7ª Série  =  8º Ano

 

Os recursos naturais estão em toda parte do Planeta, o próprio é uma imensa bola mineral, e todo mineral é um recurso natural. Embora estejam por toda parte, estes recursos são extraídos naqueles locais de maior concentração e economicamente viável, o que faz com que em alguns países ou regiões a concentração de certos minérios são maiores que em outros, daí, alguns tem e muitos não tem, é preciso comprar, importar para suprir o consumo da sociedade.

 

Além da existência do mineral é preciso também técnica e tecnologias disponíveis para sua extração e competitividade de mercado o que também tem uma distribuição desigual no Planeta.

 

Os  seres humanos, a primeira vista, parecem ser altamente independentes, podem fazer quase tudo o que querem e na hora que bem quiserem.  Mas isto é um enganos, nos somos seres altamente dependentes dos recursos naturais para nossa sobrevivência. A Água por exemplo, é um dos recursos naturais de maior importância, tanto para a sobrevivência dos seres humanos como de outras formas de vida, sejam animal ou vegetal. A  Apropriação dos Recursos Naturais, pode se dar de duas formas. Uma sociedade, ou grupo se apropria mais dos recursos em detrimento de outros, ou os recursos são extraídos de forma a provocar desequilíbrio na natureza.

 

Quase tudo o que é feito ou construído, assim como a energia usada, provém da Terra. A sociedade depende cada vez mais dos recursos minerais e energéticos. Eles não são renováveis e sua disponibilidade, custos de produção e localização geográfica são variados.

 

Durante o século 20, o principal interesse da indústria ligada à produção de recursos não renováveis transitou dos minerais metálicos para os industriais, além do petróleo e do gás. Isso transformou essa indústria num dos atores principais das economias nacionais.

 

Os recursos minerais possuem natureza e composição diversas que refletem sua origem. A avaliação da possibilidade de prospecção requer que os geólogos compreendam esses processos e as interações que estão por trás das diferenças entre uma formação rochosa comum e um depósito mineral com valor econômico.

 

Os recursos minerais são partes dos recursos naturais do Planeta. Para saber um pouco mais sobre esses recursos, converse com seu professor, colegas ou faça uma pesquisa. Depois explique o significado de cada um dos elementos abaixo listados, na seqüência:

 

• Recursos minerais: materiais encontrados nas rochas que são ou que podem ser

explorados e utilizados pelas sociedades.

 

• Reservas minerais: parte do recurso mineral, identificada e reconhecida pelo seu

valor econômico.

 

• Jazidas minerais: áreas com elevada concentração de minério, nas quais são

realizadas as atividades de extração mineral.

 

• Minérios: material rochoso com alta concentração de substâncias de grande interesse econômico e que está sendo explorado.

 

Os minerais são assim divididos: METÁLICOS FERROSOS, são aqueles que estão na categoria das FERROLIGAS como: Ferro, Manganês, Cromo, Níquel. Temos também os METÁLICOS NÃO FERROSOS nas categorias: BÁSICOS temos o Cobre, Chumbo, Zinco; LEVES: Alumínio, Magnésio, Titânio; PRECIOSOS: Ouro, Prata, Platina e os RAROS: Berílio, césio, Lítio.

 

OS NÃO METÁLICOS estão nas seguintes Categorias: MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO: Areia, Cascalho, Brita; cimento: Calcário, Argila, Gipsita; CERÂMICA: Argilas, Feldspato, Silica; ISOLANTES: Amianto, Mica E PIGMENTOS: Barita, Ocre, Titânio.

 

Observando a nossa escola, a partir da sala de aula encontraremos os minerais assim divididos: PISO, tem como matéria prima a Cerâmica e os prováveis recursos são: Argilas, Feldspato e Sílica; No FORRO E PISO encontraremos como Matéria Prima o: Calcário, Argila e Gipsita; No TELHADO temos as seguintes Matérias Primas Isolantes e Metal Leve não Ferroso como: ISOLANTES: Amianto e a Mica e o  LEVE: Alumínio; NAS CARTEIRAS: Ferroligas que são: Ferro e o vegetal Madeira; QUADRO DE GIZ, temos de Madeira e Pigmentos como o Ocre, e os de Cimento com Pigmentos também; OS CADERNOS são de Celulose da polpa da madeira e talco que é um mineral do grupo das cerâmicas; BORRACHAS, no gral são de Látex extraído da árvore Seringueira e Sílica, quanto mais, mais áspera; As CANETAS, no geral, um tubo de plástico que vem do mineral não metálico, o Petróleo, a tinta que vem do grupo dos Pgmentos e a ponta, no geral metálica que vem dos grupo das Ferroligas e o LAPIS, no geral de Madeira e o Grafite misturado com Argila. A dureza do lápis é determinada pela quantidade de Argila misturada no Grafite.

 

A Distribuição dos Minerais mais utilizados pelo homem são distribuídas irregularmente pelo Planeta, levando-se em conta o território brasileiro encontraremos as  Estruturas Sedimentares: BACIAS SEDIMENTARES da Amazônia, do Maranhão, do Pantanal e do ParanáPesquisa individual e entre as Estruturas Cristalinas destacam-se o Escudo das Guianas, o Atlântico, o do Brasil Central e o Uruguaio no sul-rio-grandense.

 

Nessas estruturas os seguintes recursos minerais: Nas SEDIMENTARES são encontrados recursos minerais energéticos  como: o carvão, o gás e o petróleo – e também as principais ocorrências de bauxita, minério fundamental à produção de alumínio. Por sua vez, são nos ESCUDOS CRISTALINOS que se localizam as jazidas minerais de manganês, ferro, níquel, diamante, urânio, entre outros.

 

No Gráfico e na Tabela da Página 8 do caderno do aluno do segundo semestre temos no Gráfico os principais compradores do ferro brasileiro e na Tabela os maiores produtores de aço em 2012.

 

Numa análise vamos ver que o ferro brasileiro tem os principais destinos: China, Japão, Coreia do Sul e países europeus, como Holanda, Itália e Alemanha. Além de Argentina, Omã, entre outros.

 

Esses países foram os principais produtores de aço em 2012 a partir do ferro importado porque são  países que se destacam na produção de aço, produzido a partir do ferro, mas que possuem reservas reduzidas.

Os três maiores produtores de aço em 2012 são: China, Japão e Estados Unidos. Considerada a maior produtora de aço em 2012, a China necessita complementar sua produção interna com minério de ferro importado. Em seguida, o Japão, que desde o final da Segunda Guerra Mundial, vem aumentando seu ritmo industrial, sustentado por uma forte indústria de base que dá suporte a sua produção de bens de consumo, principalmente duráveis. Nesse sentido, é mais econômico para o Japão importar o ferro em estado bruto e realizar a transformação em seu território. E em terceiro lugar, os Estados Unidos, que também importam grande parte do minério de ferro para produzir aço.

 

Como o ferro é a principal matéria-prima na produção do aço, alguns países se destacam na quantidade do Minério de Ferro produzido, são eles: Brasil, Austrália, China, índia e a Rússia.

 

O destino dessa extração de ferro temos a China uma grande produtora, mas com seu enorme consumo ainda tem que importar, depois o Brasil exporta para a Europa, Japão, Coréia do Sul e China; a Austrália para o Japão, China e Coréia do Sul; a Índia exporta para a China e a coréia do Sul; a a Rússia, para a Europa.

 

Os cinco principais consumidores mundiais são: China, a Europa, o Japão, o Brasil e os Estados Unidos, como os maiores consumidores mundiais.

 

A dependência do mercado mundial do minério de ferro pode ser assim distribuída:  A China é praticamente auto-suficiente, mas necessita complementar sua produção interna com minério de ferro importado. O mesmo acontece com os Estados Unidos, embora em proporções menores. A Europa consome grandes quantidades de ferro importado, assim como o Japão. O Brasil é o único desses países que não depende do mercado internacional para atender às suas necessidades quanto ao consumo de ferro, sendo, inclusive, um dos grandes exportadores mundiais.

Esses países são grandes consumidores porque se destacam na produção de aço, produzido a partir do ferro. Tem uma relação estreita com o desenvolvimento destes países principalmente de seus parques industriais, a urbanização e a sua localização em relação aos centros industriais do mundo.

 

Entre os maiores produtores de aço temos o Japão que não apresenta produção de ferro em seu território mas desde o final da Segunda Guerra Mundial, este país vem aumentando seu ritmo industrial, sustentado por uma forte indústria de base que dá suporte a sua produção de bens de consumo, principalmente duráveis.

 

Os minerais aqui mencionados são recursos naturais não renováveis porque sua formação envolve processos naturais de longa duração, tais como a formação dos materiais rochosos e a alteração desses materiais pelo efeito da temperatura e da pressão. Por exemplo: as jazidas de ferro encontradas no Brasil formaram-se há bilhões de anos a partir da solidificação do magma no interior da crosta terrestre.

 

Sabemos que o Planeta Terra é rico em minerais e que o homem vem utilizando de todo tipo de recurso que é fornecido pela natureza, consumindo-os ou transformando-os e dessa atividade  o lixo que nada mais é que tudo que já não tem mais utilidade ( isto é, num primeiro momento) porque isto está mudando, que geralmente se joga fora e vem do trabalho doméstico, comércio e industria.

 

Uma boa parte do que é considerado lixo, hoje já tem um destino mais nobre, passando pela reciclagem aqueles materiais são reutilizados, isso reduz-se a retirada de recursos da natureza, evitando o desperdício desses recursos e tornando sustentáveis muitas atividades industriais.

 

Nem todo produto pode ser reciclado, mas aqueles produzidos com matéria prima mineral que pode ser reciclado, em sua maioria vem com um símbolo especifico indicando que aquele produto pode ser reaproveitado.

 

Este símbolo além de indicar que o produto pode ser reciclado, ajuda a população na hora de descartar o lixo. O símbolo da reciclagem, que aparece em produtos e embalagens que podem ser reutilizados, como garrafas de vidro, embalagens longa vida ou latas de alumínio, incentiva a prática da reciclagem, que reduz a retirada de recursos da natureza, evitando o desperdício desses recursos e tornando sustentáveis muitas atividades industriais.

 

O Lixo, em sua maioria pode ser aproveitado, por exemplo, restos de alimentos, embalagens, latas, garrafas etc. são devidamente separados, podem ser reaproveitados ou reciclados. Como, por exemplo, a produção de adubo a partir de restos de comida; o reaproveitamento de potes de vidro para guardar alimentos e outros produtos; a reciclagem do alumínio para ser utilizado na produção de novas latas. É importante esclarecer que resíduos são sobras ou restos do processo produtivo ou de consumo, têm valor e podem ser reutilizados ou reciclados.

 

Entre os minerais mais reciclados temos: O ALUMINIO:  A obtenção do alumínio é feita a partir do mineral bauxita, o processo se dá em três etapas: Mineração, Refinaria e Redução.

 

Mineração: A bauxita contém de 35% a 55% de óxido de alumínio, este mineral é extraído da natureza e através dele se obtém a Alumina (produto intermediário que leva à produção de Alumínio). A Alumina possui fórmula Al2O3.

 

O Brasil é muito rico em Bauxita, possui a terceira maior reserva no mundo.

 

O alumínio vem de um recurso natural não renovável.

 

Processo de Fabricação – Latas

O processo de transformação da bobina de alumínio em lata é bastante extenso e complexo.

 

Oprimeiro passoconsiste na formação do corpo no qual o alumínio laminado, em formato de bobina, entra na prensa de estampagem para tomar a forma desejada. Neste estágio, o alumínio ainda apresenta a espessura original em que se encontrava na bobina.

 

Noestágio seguinte, os copos seguem para outra prensa onde suas paredes externas sofrem um estiramento. Nessa fase do processo, as paredes diminuem de espessura e, na saída da prensa, as bordas são aparadas fazendo com que todas as latas em produção tenham a mesma altura.

 

Em seguida,na lavadora, as latas recebem vários banhos e, após passar pelo forno de secagem, estão limpas, secas e esterilizadas.

 

Para a rotulagem, o processo de impressão utilizado é a flexografia no qual as latas podem receber várias cores simultaneamente.

 

O passo seguinte é orevestimento internono qual as latas recebem uma camada de proteção que impossibilita o contato da bebida com o alumínio, garantindo assim uma embalagem saudável para o consumidor final. Após esta aplicação, as latas passam peloforno de secagem.

 

A última etapa do processo de fabricação é amoldagem do “pescoço”e do perfil da borda da lata para o encaixe da tampa. Este processo tem o intuito de diminuir o diâmetro da tampa, gerando assim uma economia de matéria prima e, consequentemente, uma redução no custo da embalagem, além de benefícios para o meio ambiente.

 

Semelhante ao processo de fabricação de latas, a produção das tampas inicia-se com aestampagem da folha de alumínio, também acondicionado em bobinas, formando-se a tampa básica ou tampashell.

 

Em seguida, essa tampa shell recebe umcomposto selantecapaz de garantir uma perfeita vedação entre a tampa e a lata.

 

No próximo e último passo, as tampas passam pela prensa deconversão, aonde o anel (“tab”) é formado e adicionado à tampa. É nesta etapa que a tampa recebe os cortes superficiais que permitem que ela abra para a saída do líquido. Todas as tampas são inspecionadas de forma a garantir a total eficácia do produto.

 

As atividades industriais, em grande parte,  são consideradas um problema para o ambiente. Nessa especificamente temos: o alumínio vem do mineral chamado bauxita, um recurso natural que não é renovável a curto prazo, que apesar de grandes reservas pode acabar um dia. A sua produção e a transformação em produtos de consumo como as latinhas de alumínio consomem grandes volumes de água e energia, polui o meio ambiente e na sua extração pode desequilibrar a biodiversidade na região, além de diminuir as reservas.

 

Alumínio: Reciclagem Infinita

A reciclabilidade é um dos atributos mais importantes do alumínio. Qualquer produto produzido infinitas vezes, sem perder suas qualidades no processo de reaproveitamento, ao contrário de outros materiais. O exemplo mais comum é o da lata de alumínio para bebidas, cuja sucata transforma-se novamente em lata após a coleta e refusão, sem que haja limites para seu retorno ao ciclo de produção. Esta característica possibilita uma combinação única de vantagens para o alumínio, destacando-se, além da proteção ambiental e economia de energia, o papel
multiplicador na cadeia econômica.

 

A reciclagem de alumínio é feita tanto a partir de sobras do próprio processo de produção, como de sucata gerada por produtos com vida útil esgotada. De fato, a reciclagem tornou-se uma característica intrínseca da produção de alumínio, pois as empresas sempre tiveram a preocupação de reaproveitar retalhos de chapas, perfis e laminados, entre outros materiais gerados durante o processo de fabricação.

Este reaproveitamento de sobras do processo pode ocorrer tanto interna como externamente, por meio de terceiros ou refusão própria. Em qualquer caso representa uma grande economia de energia e matéria-prima, refletindo-se em aumento da produtividade e redução da sucata industrial.

A reciclagem do alumínio contribui no sentido de preservar as reservas de bauxita e de economizar a energia necessária para a transformação da bauxita em alumínio.

Observe os dados da tabela: Reciclagem de diversos materiais

Material Reciclagem no Brasil, 2007  ( em % )
Latas de Alumínio 96,5
Latas de Aço 49,0
Plástico Rígido 21,2
Plástico Filme 22,0
PET 53,0
Vidros 47,0
Papel de Escritório 38,1
Papel Ondulado 79,5
Pneus 73,0
Embalagem Longa Vida 25,5
Os dados acima constam de uma tabela elaborada especialmente para o São Paulo Faz Escola. Fonte: Compromisso Empresarial para Reciclagem Cempre. Fichas Técnicas, <HTTP://www.cempre.org.br>,. Acesso em: 20  de dez. 2010.  (caderno do aluno, 3º bimestre de geografia da 7ª Série =  8º ano)

 

Com base em seus conhecimentos e nos dados da tabela, é correto afirmar que:

 

a)-a reciclagem reduz os impactos ambientais, mas inibe o desenvolvimento industrial.

 

b)-os plásticos PET têm um percentual de reciclagem menor que pneus e vidros. 

 

c)-a reciclagem do alumínio reduz os efeitos ambientais negativos gerados pela produção e pelo consumo deste produto.

 

d)-as embalagens “longa vida” são pouco recicladas no Brasil, mas seu impacto para o meio ambiente é insignificante.

 

Bibliografia:

Caderno do aluno 2º Semestre

Caderno do Professor 2º Semestre

http://professor-oromar.blogspot.com.br/p/apropriacao-desigual-dos-recursos_2.html

http://revistaplaneta.terra.com.br/secao/unesco-planeta/recursos-naturais

http://www.latapack.com.br/mundo-da-lata/a-lata-de-aluminio/processo-produtivo/

http://www.mundoeducacao.com/quimica/obtencao-aluminio.htm

http://ambientes.ambientebrasil.com.br/residuos/reciclagem/aluminio%3A_infinitamente_reciclavel.html

Login