Luiz M. Calegari

Cada Click é um Mundo

Get Adobe Flash player

Professor e Resiliência 

     Resiliência humana define-se como a capacidade que temos de minimizar e inclusive superar obstáculos. Estará o professor brasileiro usando toda essa capacidade? Fala-se em todos os setores da sociedade que o ensino no Brasil é de má qualidade,  desvalorizado, degradado, e tem os que dizem estar piorando a cada dia. O governo, seja na esfera Federal, Estado ou Município, tem adotados medidas para melhorar o ensino, mas os efeitos não tem sido detectados, salvo em alguns pontos isolados. Sabemos que os fatores são muitos, o destaque atual para os responsáveis em gerir o ensino no país é o professor, e os motivos apontados são: desmotivação, incompetência, cursos de licenciatura de má qualidade, entre outros. Uma coisa é certa: o desinteresse pela docência é latente, as faculdades têm dificuldades, e outras nem conseguem formar turmas, cai acentuadamente o número de professores que são formados a cada ano, destes, uma expressiva parcela, quando pega o diploma, vão para a iniciativa privada em outras atividades, e os que estão formados, trabalhando no ensino, na primeira oportunidade que aparece saem da rede, com isso o prejudicado é o ensino de forma geral. Como censurar os professores se esta é a realidade? Providências precisam ser tomadas, mas no conjunto, e não descarregar em cima daqueles que estão aí na linha de frente, ainda acreditando que seu trabalho será valorizado.

Cobram mudanças na atuação do professor e estes têm consciência desta necessidade, mas precisam de meios para isso. O docente e a sociedade sabem, sentem, a evolução e transformações são constantes em todos os setores. É necessário investir na mudançajá afirmava “PAULO FREIRE”, principalmente nas práticas pedagógicas, pois nada no mundo é estático. Claro, o professor precisa mudar porque os alunos também mudam e as transformações nos alunos são muito rápidas, e a classe docente tem dificuldade em acompanhar, não por falta de conhecimentos, como alguns afirmam, e sim por falta de recursos, o próprio Estado é moroso. O aluno é o resultado das evoluções e transformações que operam na sociedade, ele vem junto com as mudanças, e o professor tem que ir se adaptando a elas. Será que a resiliência não está sendo processada em nossos docentes?

As maiores cobranças que se tem verificado é a incapacidade do professor em avaliar adequadamente seus alunos e com isso ir adequando seu planejamento para a realidade da sala de aula que se transforma a cada dia. Cobrar simplesmente porque o ser humano tem a capacidade de minimizar e superar problemas não resolve a situação, o problema é muito complexo e os professores precisam das ferramentas necessárias, sejam recursos materiais, tecnológicos, humanos, apoio institucional e, melhores salários. Por outro lado se temos o professor resiliente, temos também os alunos, e assim, toda e qualquer mudança tem que atingir a sociedade como um todo: professores, alunos, família, autoridades, a escola. A principal mudança tem que ser na forma de olhar a educação em seu conjunto, para que a transformação se opere e acompanhe o ritmo do século XXI.

Professor: 

Calegari, Luiz Maximo. Licenciado em Geografia pela FEF - Fundação Educacional de Fernandópolis – SP – Pós Graduando em Docência do Ensino Superior pelo IEC – Instituto Educacional Carapicuíba

Login