Luiz M. Calegari

Cada Click é um Mundo

Get Adobe Flash player

APRENDIZAGEM 8   -  OS ATRIBUTOS DOS MAPAS – 6º Ano

 

O título: Todo mapa deve apresentar um título que informe qual é o tema daquele mapa, de maneira o mais simples possível, como: quais foram os fenômenos da realidade que foram selecionados para serem representados. Ex: Os Biomas Brasileiros ou: As principais Florestas.

A legenda: A legenda é o que explica o significado dos símbolos, cores, e outras formas gráficas que foram utilizadas no mapa para demonstrarem a realidade.

A escala: A escala é fundamentalem todo mapa. Ela representa a distância ou área selecionada em um mapa e aquela da realidade representada no mapa. A escala é necessária porque é preciso reduzir as distâncias ou áreas de um terreno para que o mesmo seja representado em uma folha de papel, e que a pessoa ao ler o mapa e consultar a escala saiba o tamanho do terreno que ali está sendo representado, como cidades, estradas, lagos, distancias entre duas cidades, e outras utilizações. Há outros atributos que você irá descobrindo.

 

Você já conhece um atlas geográfico escolar, ao examiná-lo mais atentamente veremos que:

 

As cores são muito utilizadas nos mapas. Por exemplo: é comum usar o azul para representar as águas (oceanos, rios e lagos); o verde por vezes é empregado para mostrar formações vegetais. Mas será sempre assim? Não é sempre assim. Essas cores (o azul e o verde) são usadas em mapas para várias finalidades e não são exclusivas para representar as águas e a vegetação. O azul e o verde podem ser usados para representar minerais, volumes, quantidades, depende do tema do mapa e o que o autor quer mostrar.

 

Os mapas representam fenômenos selecionados. É impossível representar todos os elementos que compõem a superfície terrestre. Entre as seleções mais comuns estão o que se chama de mapa físico e mapa político. Ex: de mapa político “ URBANIZAÇÃO “  ex: de mapa físico “ Floresta equatorial “. A diferença que existe entre eles está relacionada ao tipo de fenômeno mostrado como: Os mapas políticos representam, especialmente, fenômenos humanos como cidades, fronteiras, estradas etc., enquanto os mapas físicos representam fenômenos naturais como rede de rios, altitudes dos terrenos, distribuição das formações vegetais etc.

 

As diferentes altitudes do relevo são representadas nos mapas físicos são representadas com uma escala de cores, geralmente de forma ordenada. Cada cor representa uma altitude, e essa informação pode ser consultada na legenda do mapa.

 

Os mapas dos estados, por ex: do estado de São Paulo você o encontrará de forma isolada e também dentro do mapa do Brasil. Os mapas não apareceram sempre do mesmo tamanho, isso depende muito da escala em que foi confeccionado, essa variação é necessária, principalmente devido a quantidade de detalhes que se quer mostrar. Assim, um mapa de São Paulo dentro do mapa do Brasil pode ter menos detalhes que um mapa isolado de São Paulo. Existem mapas maiores e mapas menores de um mesmo local, e essa variação chama-se escala cartográfica.

 

O Mapa da página 57 do caderno do aluno é um mapa político e trata dos núcleos urbanos, podemos dar a ele o seguinte título: As maiores cidades brasileiras em cada um dos estados. Além disso, estão representados os Estados brasileiros. Isso é perceptível porque para cada Estado há uma cor e traços que delimitam um Estado do outro. Essa delimitação e o fato de existirem Estados é um fenômeno humano. Podemos também identificar alguns rios e países da américa do sul. Cada estado está identificado por uma cor.

 

Este mapa é predominantemente composto por objetos humanizados pois os principais elementos representados são fenômenos humanos: divisão dos Estados e das principais cidades do Brasil. E o título pode ser: Mapa Político do Brasil, entre outros.

 

O mapa da página 59 também é um mapa do Brasil, não há mais divisão marcando a existência de Estados nem a indicação de cidades. As cores assinalam os terrenos conforme as altitudes, o que pode ser observado na legenda. É importante notar que as zonas verdes correspondem a certa altitude (entre as mais baixas), e não a zonas de florestas. Do amarelo para o marrom são terrenos altos, e não terras sem vegetação. Aparece também uma densa malha de rios: a rede hidrográfica.

Neste mapa foi utilizado as cores para diferenciar os fenômenos mostrados como as altitudes mais baixas das mais altas. Mas só é possível identificar quais as áreas mais altas e as mais baixas observando a legenda.

 

Aqui a cor verde não está representando florestas, mas sim determinada altitude (que está entre as mais baixas). Isso demonstra que nos mapas existentes as cores têm um uso diverso e nenhuma cor tem um uso exclusivo, nem mesmo o azul para a água.

 

No mapa predominam fenômenos da natureza (montanhas, florestas, rios etc.) São elementos da natureza: altitude e malha de rios. Logo, nesse mapa predominam fenômenos naturais. Um título bem adequado para este mapa pode ser: Mapa Físico do Brasil.

 

Todo mapa é representado por símbolos, na legenda poderemos observar que o símbolo um ponto preto e um círculo representa as capitais dos estados, e a bolinha preta, outras cidades, além de possuir outros símbolos como, risco azul, representando rios. Neste mapa uma das capitais representada é Rio Branco no estado do ACRE.

 

O principal recurso visual utilizado para a representação de fenômenos no mapa foram as cores.  De acordo com a legenda, esses recursos representam as altitudes mais altas e as mais baixas. A escala empregada vai do verde (altitude mais baixa) ao marrom (altitude mais elevada).

 

De acordo com o mapa da página 59, o ponto mais alto do território brasileiro é o Pico da Neblina com 2 994 metros, localizado no norte do Estado do Amazonas, próximo à fronteira com a Venezuela.

 

Observando os mapas das páginas 61 e 62 do caderno do aluno e pegando por base a Região Metropolitana de São Paulo veremos que a mesma está representada nos dois mapas. No entanto, os municípios que compõem essa região metropolitana estão representados apenas na Figura 25, (Página 62), pois esse é um mapa em escala grande.

 

Os mapas de escala grande são aqueles em que o espaço real não foi muito reduzido. Comparando os dois mapas apresentados, veremos que o mapa da Figura 25 (Página 62) apresenta uma escala maior. É possível chegar a essa conclusão verificando que nele as distâncias reais foram reduzidas menos vezes.

 

Para podermos identificar a maioria das regiões metropolitanas do Brasil é necessário consultar um mapa de escala pequena, vejamos, somente o mapa da Figura 24 (página 61) permite a identificação de todas as regiões metropolitanas brasileiras em 2010, por ter sido elaborado em uma escala pequena.

 

Observando a legenda do mapa da Figura 25 (página 62) veremos que a mesma informa a taxa média de crescimento anual da população dos municípios que a compõem, entre 1991 e 2000. Não seria possível representar essa informação no mapa da Figura 24 (página 61) porque devido à escala cartográfica selecionada ser pequena. Em um mapa com uma escala pequena, como o da Figura 24, (página 62), é impossível representar todos os municípios que compõem a região metropolitana de São Paulo e atribuir uma legenda para cada um deles.

 

A escala é de fundamental importância na leitura de um mapa. Temos dois tipos de escalas, numérica que é assim representada: 1:50.000, e a gráfica:

 

Em um mapa que apresenta a escala gráfica a seguir, na qual 1 cm na reta representa 50 km da realidade, a distância em linha reta entre uma cidade A e uma cidade B é de 6 centímetros. Qual é a distância real entre as duas cidades?

 

a) 1 500 quilômetros.

b) 500 quilômetros.

c) 1 000 quilômetros.

d) 750 quilômetros.

e) 300 quilômetros.

 

FONTES:

Caderno do Aluno Volume 1

Caderno do professor Volume 1

Login