Luiz M. Calegari

Cada Click é um Mundo

Get Adobe Flash player

O Professor e o Tempo

 

                     Tempo, numa primeira análise parece ser uma coisa tão corriqueira e simples, por estar tão presente em nossa vida, seja no lazer, no trabalho e até quando estamos dormindo, será por isso que é comum não pararmos para refletir o que significa? Ou será por que não temos tempo disponível para pensar sobre ele? Seja como for, desde há muito “tempo”, o homem não consegue ter uma vida regular se não administrar bem o tempo, em casa, no lazer ou no trabalho. A função docente cobra do professor uma administração o melhor possível do tempo escolar. Deveremos ter em mente: o tempo ocupa, atualmente, uma parte cada vez maior da vida humana, afirmamMaurice Tardif e Claude Lessardem torno de 15 anos de nossa vida, e desse período somos atores que poderão fazer a diferença na vida futura dos nossos alunos. Os termos cronos e cairós usados pelos gregos para definir tempo medido e tempo vivido, respectivamente, estão muito presentes em nossa vida, faz parte dela e é claro que preferimos viver o tempo cairós, mas ele só existe em função do cronos, sem o qual não saberíamos o que é viver intensamente e nem valorizar esse período vivido chamado cairós. Em todas atividades devemos nos preocupar que nosso tempo seja o maior possível no cairóssem descuidar do cronos, diz: Fernando José de Almeida, e na atividade docente também, porque estaremos partilhando com nossos alunos, as maravilhas do tempo cairós extraídas do cotidiano escolar, sem as quais, com certeza, o aprendizado de ambos os lados estará prejudicado e ainda estaremos mergulhados no tempo cronos, que nos cobra, nos atropela, e onde sempre parece faltar tempo e aí vem, quando é possível os replanejamentos, para definir novas datas, novos rumos, repensar metas e objetivos, e isso só se faz no tempo cronos. Desde a elaboração do Projeto Pedagógico, o Plano Anual de Trabalho e o plano de aula, seja diário, semanal ou mensal, deverão serem elaborados de uma forma, mesmo que: fazer os dois tempos conversar entre si, conforme escreve Fernando José de Almeidanão é fácil, contemple atividades previamente bem elaboradas, pois serão executadas sem dificuldades e nos levará a vivenciar o tempo cairós juntamente com nossos alunos, e este, penso, funciona como uma barreira contra as dificuldades possíveis do tempo cronos, tornando-se este, praticamente uma extensão daquele que tanta satisfação nos traz e, teremos uma gestão da sala de aula que é o sonho de todo professor comprometido em construir, acumular e partilhar conhecimentos, por um ensino melhor que a sociedade tanto cobra e espera.

Luiz

Calegari, Luiz Maximo. Licenciado em Geografia pela FEF - Fundação Educacional de Fernandópolis – SP – Pós Graduando em Docência do Ensino Superior pelo IEC – Instituto Educacional Carapicuíba

Login